Arquivo da categoria ‘COISAS DE… I. MARKO…

BEIRA DO POÇO   4 comments

Inspirada  em Pablo Neruda ;

 

“se cada dia cai”

 

Se cada dia cai, dentro de cada noite,
há um poço
onde a claridade está presa.

há que sentar-se na beira
do poço da sombra
e pescar luz caída
com paciência.

 

 

 

Eu…

 


Beira do poço

 

Beira do poço…

E sentada a beira desse poço

Com muita paciência

Pesco a luz das estrelas

E a luz da lua

Para que elas

Ilumine minha noite.

E aguardo pacientemente

Com muita sabedoria

O raiar do sol

Com sua infinita claridade

A me dizer…

Viva a vida!

Com muita PAZ

E muita LUZ.

       (Irene Marko…)

 

 

Publicado 5 de setembro de 2008 por Policxenia em COISAS DE... I. MARKO...

APENAS LEMBRANÇAS…   Leave a comment

*
*
*
*
*

Por  que não posso simplesmente chegar a você

E dizer apenas:

Estou com saudade.

Trocar algumas palavras e…

Deixar beijos abraços?

Por que você quis ficar assim…

Tão distante e não mais meu amigo?

Apenas almejava ser alguém “Especial”

Como você o é, mesmo não querendo.

Aqui eu agora estou ouvindo

Repetidamente  Billy Paul e Rick James.

E deixando meus pensamentos viajarem

Nas lembranças inesquecíveis

Que ficarão para sempre.

(Irene Marko…)

Publicado 31 de agosto de 2008 por Policxenia em COISAS DE... I. MARKO...

APARÊNCIAS   Leave a comment

*
*
*

APARÊNCIAS

 

 

 

O ser humano escolhe o outro por “aparências”.

E é Justamente onde ele erra na escolha.

Todos nos temos o “Don” de saber,

Quem nos é simpatizante.

Mas… Muitos preferem

Não ouvir a voz do coração.

E… Acabam aceitando a opinião

E a voz da escolha errada.

“O deixado” para trás…

Muitas vezes sofre.

Pela ingratidão,

Incompreensão,

Insensibilidade

E “traição”.

Porém o sofrimento maior

É daquele cuja  escolha foi errada.

Porque quem foi deixado de lado

Sofre nas claras e se deixa fruir…

Quem faz a escolha errada

Sofre no escuro e permanece

Na profunda ignorância.

Então…

“Sofre sem saber”.

    (Irene Marko…)

 

Publicado 3 de julho de 2008 por Policxenia em COISAS DE... I. MARKO...

SÓ NOS RESTA…   Leave a comment

                           
                                

Odeio gente burra. Gente burra é aquela que erra e continua errando

Só para provar que é a tal.  A tal burra é claro.

Todos percebem menos ela, e assim vai vivendo sua burrice pensando

que tapeia todos.

Se considerando assim… O inabalável.  O inabalável dos ignorantes,

pois os ignorantes são os que ignoram algo. Esses jamais são burros.

São ignorantes que um dia, pode ate demorar, vão saber, quem sabe.

Mas se souberem passaram a não ser mais ignorantes. E as burras!?

Essas não têm jeito, é burra. E se orgulha de ser burra, pois não move

 uma palha para deixar de cometer as mesmas burrices.

(Irene Marko…)

 

 
 
 

SÓ NOS RESTA…

 

Quando a saudade bate.

Só nos resta matá-la

Voltado a refrescar a mente

Com o tesouro que fala com

As almas enamoradas ou não.

A bela e misteriosa musica.

Mas só vale lembrar-se das lindas

lembranças que ela nos deixou.

(Irene Marko…)

Publicado 4 de março de 2008 por Policxenia em COISAS DE... I. MARKO...

…………………………….   Leave a comment

 

Publicado 17 de setembro de 2007 por Policxenia em COISAS DE... I. MARKO...

ALVO PERIGOSO   1 comment

 
 

 

 

ALVO PERIGOSO

 

Estrada essa perigosa…

Da qual escolhestes…

Muita das vezes

Tentamos envolver

Com palavras bonitas,

E acabamos nos envolvendo,

Mas que aos “alvos”

Que queremos…

Estrada essa perigosa…

Da qual escolhestes!

(Irene Marko…) 

Publicado 27 de agosto de 2007 por Policxenia em COISAS DE... I. MARKO...

SÓ OS FORTES   Leave a comment

 
 

SÓ OS FORTES

                                                                    25/06/2007  

Só os fracos se escondem

Por trás de uma máscara.

Só os pobres de espíritos

engrandecem-se do nada.

Com a falta de humildade,

perdão, incompreensão,

simplicidade e mau humor.

Mas isso é apenas…

Uma casca na ilusão

De estarem protegidos.

De parecerem poderosos.

A quem será que enganam!?

Só os fortes e grande Almas,

não temem expor-se.

Não temem viver a vida

“A sorrir”

(Irene Marko…)

 

Publicado 25 de junho de 2007 por Policxenia em COISAS DE... I. MARKO...