Arquivo da categoria ‘POESIA…

APENAS LEIA-ME…   Leave a comment

 

                         

APENAS LEIA-ME… 

 

Não me julgue pelas ações

As ações são reflexos…

Não me tenhas insensível

O mundo é violento…

Não me tenha no corpo

Pois ele é apenas roupagem.

Apenas leia-me…

Pois é o que escrevo

O ser virtuoso.

Não se iluda.

Não confunda “alma”

Com os feitos e palavras…

As palavras ferem

Os feitos cruéis e reais.

Tenhas-me apenas

O que a mão

Escreve-vos e diz…

           (Irene Marko…)

 

 

Publicado 17 de setembro de 2007 por Policxenia em POESIA...

……   Leave a comment

 

 


Publicado 13 de setembro de 2007 por Policxenia em POESIA...

(Desconheço Autoria)   Leave a comment

 

 

Essa poesia que colei, é dedicada a um amigo

Que em meu coração mora

E muito me “inspira”.

 

DEIXA-ME AMAR-TE.

Deixa-me amar-te em meus silêncios
Na calmaria do teu coração que me acolhe
E de onde se desprendem meus sonhos
Em vôos etéreos de plena liberdade

Deixa-me amar-te em minha solidão
Ainda que meus labirintos te confundam
E que teus fios generosos de compreensão
Emaranhem-se no tapete dos meus enigmas

Deixa-me amar-te sem qualquer explicação
Na ternura das tuas mãos que me sorriem
Escrevendo desejos em versos despidos
Na minha alva tez que te cobre e descobre

Deixa-me amar-te em meus segredos
Para que desvende o que também desconheço
A alma dos meus abismos, onde anoiteço
E meus olhos adormecem embalados pelo mistério

Deixa-me amar-te em tuas demoras, longas horas
Em que meu corpo se veste de céu à tua espera
Enquanto minhas mãos acendem estrelas
Para alumiar-te, ainda que ausente estejas…

                 (Desconheço a autoria)

 

 

Publicado 5 de junho de 2007 por Policxenia em POESIA...

SOU GUERREIRA   Leave a comment

 

 

Só os guerreiros enfrentam a vida com coragem e vão em frente.

Só os corajosos enfrentam os desafio de frente sem se esconderem.

Só quem batalha consegue ter paz. Pois a guerra só é perdida

Quando não se vai a “LUTA”.

E nenhuma luta é perdida quando se tenta,

Pois qualquer que seja o resultado,

É uma batalha vencida de conhecimento.

“Vivendo e aprendendo”

 

 
 

SOU GUERREIRA

 

Das grandes dificuldades

Encontro às facilidades

De cada problema

Um novo desafio

Das derrotas a vitória.

Do impossível, o possível.

Da pressa, a paciência.

Do sonho, o real.

E assim…

Derroto tudo e a todos.

Dos grandes temores

Nasce a tenacidade

A coragem e a força

De caminhar em frente

Com a certeza que consigo.

Das tentativas erradas

Encontro a trilha certa.

Abrindo veredas, me encontro,

Descubro minhas buscas.

Buscando, alcanço meus objetivos.

E novas batalhas a conquistar.

A certeza que tenho

É que só quem luta

Vence batalhas

Batalhas são guerras.

Só os guerreiros…

Entram nelas.

E só um vencedor

Encontra a PAZ.

Sou uma guerreira

Pois eu tenho

“A PAZ”.

            (Irene Marko…)

Publicado 3 de dezembro de 2006 por Policxenia em POESIA...

RELEMBRAR   Leave a comment

 
 
             

RELEMBRAR

 

 

Você foi meu capricho

Musa todo tempo

Mas o destino não mais quis

E apenas restou

Um espaço vazio

De fantásticas fantasias

De noites inspiradoras.

 

Os sonhos foram-se

E os devaneios preenchidos

Por realidades sólidas

Que acordar fizeram-me

Para  novamente despertar

E transformar meus dias

Em reais poesias.

 

Por alguns instantes

Esse relembrar preencheu

As fantasias do passado

Que se foram no tempo

Que não voltam mais.

             (Irene Marko…)

 

Publicado 25 de novembro de 2006 por Policxenia em POESIA...

CÉREBRO”, “AMAR”, “COMO É BOM”, “LOUCURA” E “ESPAÇO VIRTUAL”   Leave a comment

 
EU NÃO SEI RIMAR
NÃO SEI CONCORDAR
APENAS SEI…
ESCREVER O QUE SINTO.
(Irene Marko…)
  
  04/11/2006

 

CÉREBRO  

Máquina humana inteligente

Colhe, registra e armazena.

E como uma máquina

Arquiva.

Desconhecendo o arquivo

Seu usuário procura…

E para um outro, “outro” micro

Seu coração palpita

Seu corpo e face ruborizam.

Então grita se desespera e chora

E assim vai vivendo.

Mas de repente uma tecla

Um botão é acionado

E de um repente seu micro

Em um sonho deixa a amostra

Uma pasta de um arquivo

Um arquivo arquivado.

E aí esse micro mencionado

Esse “outro” micro acima

Que fez palpitar, ruborizar,

Não é o que parecia ser.

Foi apenas aparência

E uma mera semelhança.

Que fez palpitar um coração

Que ainda…

Sem querer e sem saber

Palpita forte revelando

Que esse arquivo arquivado

Ainda é…

A chave de seu micro.

                 (Irene Marko…)

 
 
 
 

AMAR

O mundo seria tão melhor
Se só deixássemos o amor falar.
Mas seria também muito…
Muito complicado.
Quantos conseguiríamos amar!?
A quem permitir amar!?
Amar é muito complicado.
É muito complexo.
Mas muito bom!
Amor é sanidade
Amor é loucura.
“Amar” é bom demais…!
Viva o amor!
Mesmo que seja
“LOUCURA”.
(Irene Marko)

 

 
 

COMO É BOM…

  Como é bom ter você

Saber que você existe

E que eu posso sem medo

Dizer que…

De você sinto saudade.

E quando seus e-mails

Não vejo, fico apreensiva.

Será que me esqueceu?

Mas eles estão lá.

E mais uma vez

Posso sem medo

Dizer que eu te adoro!

E dos seus lindos poemas

Sinto falta.

Como é bom ter você.

         (Irene Marko…)

 

 

 

   LOUCURA                 ( 03/11/2006)  

 

Meu Deus…!

O que estará acontecendo comigo.

Será isso mesmo verdade…

Como posso sentir-me assim.

Sinto-me uma adolescente…

Com reações de um principiante

Sentindo-me um tanto…

Um tanto…Nem sei explicar.

Meu Deus…!

O tempo passou e eu aqui estou.

Sentindo-me uma criança

Assustada com essa sensação.

Uma reação biológica “animal”.

Ah! Loucura!

Não. Não seria loucura.

Seria muito normal,

Se isso… “Não fosse virtual”.

          (Irene Marko…)

 

ESPAÇO VIRTUAL                          07/09/2006

 

O espaço virtual

É um lugar interessante.

De estágios “interessantes”

Onde você e o monitor

São grandes aliados.

Espaço de um mundo

Cômico,

Quando você ri com ele.

De escape,

Onde o mundo real se afasta.

Falso,

Onde se engana ou se deixa enganar

Sem ser ou deixar ser fitado.

Sexual,

Onde se goza sem ser tocado.

Ilusório,

Porque você se deixa iludir.

E ao mesmo tempo verdadeiro.

Porque é nesse mesmo espaço

Que ninguém sabe quem você é.

Ninguém vai te recriminar ou julgar.

E mesmo que o faça

Não poderá te punir.

E é nesse mesmo espaço

Que sem perceber você deixa à amostra

Seu caráter, sua índole, seus desejos,

Suas fantasias, suas taras e seu verdadeiro “eu”.

Que você esconde de quem te conhece e de você mesmo.

E é justamente nesse espaço que se você quiser

Poderá avaliar que tipo de gente é você

E que tipo de gente você quer “ser”.

(Irene Marko…)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Publicado 4 de novembro de 2006 por Policxenia em POESIA...

MAR DA VIDA   Leave a comment

 

MAR DA VIDA

 

“MAR DA VIDA”

 

Mar misterioso…Assustador… Que prende

E ao mesmo tempo assegura, essa sede.

Sede envolvida de medo.

De medo das… Insignificantes ondas,

Que se formam perante os olhos,

Mas… Só vistas quando convém.

 

Nesse mar da vida, perdida estou.

Porque navegá-lo, só é permitido,

Por quem por ele aprende a navegar,

Correndo e assumindo todos os riscos.

Da imensidão misteriosa desse oceano.

 

Alcançar os misteriosos prazeres

Dessa esplêndida viagem oceânica,

Requer… Coragem e força.

Porque explora-lo é descobrir

Não só o caminho

Como também

O interior sombrio…

Das profundezas da vida.

                            ( Irene marko…)

Publicado 27 de março de 2006 por Policxenia em POESIA...